colaboração

KollektivTRIGGER




Kollektiv TRIGGER é um ensemble vocal feminino criado em 2021 em Stuttgart dedicado à música contemporânea. Originalmente fundada pelas cantoras Andrea Conangla, Viktoriia Vitrenko, Elena Tasevska e Clémence Boullu, Kollektiv TRIGGER são verdadeiros especialistas em voz moderna, dominando habilmente técnicas vocais experimentais e estendidas e movendo-se livremente dentro dos géneros musicais.

Kollektiv TRIGGER oferece uma nova perspectiva para o novo teatro musical, performance multidisciplinar e intervenção artística.



ativismo

DIVERSITY CONFERENCE




Conferência sobre o tema da Diversidade organizada e moderada por mim em colaboração com a HMDK Stuttgart e a Staatsoper Stuttgart.

Oradores: Tichina Vaughn, Tracy Cox, Holden Madagame, Robert Crowe, Marion Eckstein, Franziska Kötz e Tillmann Reinbeck.



composição / improvisação

ZAPPING MACHINE


instalação sonora sobre democracia

Esta instalação sonora foi criada em colaboração com o meu parceiro Rui Ribeiro para uma exposição sobre democracia na Haus der Geschichte Baden-Württemberg. Para tal, foi criado um script de software para procurar a palavra "democracia" traduzida em várias línguas utilizando a API do Musixmatch, uma plataforma com mais de 14 milhões de letras.

As canções resultantes desta pesquisa foram então utilizadas como entrada de som para uma pequena aplicação que tocava constantemente um segundo aleatório a partir de uma canção aleatória. Os visitantes da exposição podiam interagir com esta aplicação, clicando num botão que depois tocava uma canção de um ponto aleatório durante um período de 10 segundos. Esta experiência pretendia reflectir a relação casual entre as pessoas e o que as rodeia, desde o consumo de conteúdos mediáticos até à falta de interesse dos jovens para se envolverem politicamente.




composição / improvisação

EXTREME MAKEOVER (2021)



Extreme Makeover é a reflexão de Andrea Conangla sobre os padrões de beleza irrealistas estabelecidos pela sociedade e pelos meios de comunicação social que afectam poderosamente a percepção dos nossos próprios corpos, as suas perfeições e imperfeições.

Ver o vídeo completo em YouTube︎︎︎




composição / improvisação

QUANDO M’EN VO (1889/2021)


para soprano, piano, eletrónica
e video


Giacomo Puccini (1889-1898)
Andrea Conangla (*1993)


Conceito: Andrea Conangla
Electrónica: Lena Meinhardt
Material vídeo: Colectivo Rob Bliss
e Angela Belcamino
Edição de vídeo: Vanessa Oliveira
Actualização de texto: Eleonora Siciliano
Esta famosa ária da ópera La Bohème é completamente retirada do seu contexto, o seu texto e a sua música são vistos quase arqueologicamente, apenas para serem posteriormente redesenhados à luz do pensamento moderno. No início da ária, Musetta descreve as reações das pessoas na rua à sua beleza. Uma experiência que a faz feliz. Através da utilização do vídeo, da electrónica e da mudança na última estrofe, é feito um paralelo ao presente.

A perpetuação dos estereótipos sexistas por parte da cultura e o papel da arte clássica neste contexto são refletidos de forma crítica.